Direção

Miguel Falabella

Elenco

ALESSANDRA VERNEY
Noemi
CARLOS ARRUZA
Fernando
CLAUDIA NETTO
Gertrudes
CLAUDIO GALVAN
Debret
CRISTIANO GUALDA
Dom Pedro
DANIEL CARDOSO
Thierry
EDIO NUNES
Corta Orelha
ESTER ELIAS
Dona Leopoldina
FÁBIO VENNTHURA
Bento
FREDERICO REUTER
Chalaça
GEORGE VASSILATOS
Conde de Linhares
GERMANA GUILHERMME
Condessa de Londron
GIULIANO CANDIAGO
Plácido
IZABElLA BICALHO
Eloísa
JANAÍNA AZEVEDO
Condessa de Huembourg
LILIAN VALESKA
Luzia
MARIANA BALTAR
Dona Miquelina | Machenga
PEDRO LIMA
João Fernandes Filho
RICARDO NUNES
Dom Miguel
SANDRO CHRISTOPHER
Dom João VI
STELLA MIRANDA
Carlota Joaquina
VERA DO CANTO E MELLO
Baronesa de Goytacazes

O Musical

O musical se passa em um baile em comemoração ao aniversário da Leopoldina, futura imperatriz do Brasil.
Ainda na trama, o público confere a vida de D. João VI, as loucuras de Carlota Joaquina e a rivalidade entre os príncipes Pedro e Miguel, além da relação da Europa com a colônia.
No palco, 22 atores e uma orquestra que conta com 16 músicos e cerca de 150 figurinos diferentes.

Ficha Técnica

  • Textos, Letras e Direção Geral: Miguel Falabella
  • Músicas: Josimar Carneiro
  • Cenários e Figurinos: Cláudio Tovar
  • Iluminação: Aurélio de Simoni
  • Coreografia: Nora Esteves
  • Direção de Produção: Jane Santos
  • Pesquisa História: Beatriz Kushnir

Orquestra

  • Josimar Carneiro: Regência
  • Naomi Kumamoto: Flauta | Flautin | Flauta em sol
  • Alex Freitas: Clarinete | Sax Tenor
  • Waleska Beltrami: Trompa
  • Naílson Simões: Trompete | Cornet
  • Nicolau Lafetá: Trompete | Flugelhorn
  • Everson Moares: Trombone | Bombardino
  • Gabriel Santiago: Violão
  • Gabriel Geszti: Acordeom | Piano
  • Marcelo de Castro: Piano
  • Jorge Oscar: Contrabaixo
  • André Boxexa: Bateria | Percurssão
  • Anderson Pequeno: Violino
  • Fabio Peixoto: Violino
  • Tomaz Soares: Violino
  • Andre Costa: Viola
  • Bernardo Fantini: Viola

Fotos

  • Renato Mangolin | Karla Pêo | Divulgação

Acredito na força lúdica dos musicais, acho que o gênero descobre com mais rapidez o segredo do coração de seu público, uma bela canção é capaz de mudar imediatamente nosso estado de espírito.
Gosto particularmente desta maneira de olhar-se, que é cantar-se. Além disso, musicais sempre empregam muita gente e o trabalho desdobra-se, multiplica-se, gera subprodutos, o capital gira e o entorno se enobrece.
O teatro precisa gerar trabalho, há que renovar-se sempre o contingente, não só de atores, mas principalmente de técnicos, treinados nas manhas da cena.
É assim que melhoramos.
É assim que crescemos, enquanto povo, sociedade, nação.
Espero que voces sonhem comigo.

Miguel Falabella